Livro do mês

A Invenção das mulheres

Construindo um sentido africano para os discursos ocidentais de gênero

Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí

A Invenção das mulheres

Construindo um sentido africano para os discursos ocidentais de gênero

Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí

Marco referencial no campo dos estudos de gênero, o livro da socióloga nigeriana Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí oferece uma nova maneira de compreender o papel social da mulher a partir de referências africanas, especificamente da cultura iorubá.

A pesquisa, resultado de sua tese de doutorado, revela como a ideologia do determinismo biológico está no cerne das categorias sociais ocidentais – a ideia de que a biologia fornece a base lógica para organizar o mundo social. Em oposição, a autora mostra como conceitos baseados no corpo não eram centrais na organização das sociedades iorubás antes da colonização.

Dessa maneira, sua análise acaba por destacar a natureza contraditória de dois pressupostos fundamentais da teoria feminista: que o gênero é socialmente construído e que a subordinação das mulheres é universal. Na recuperação dos conceitos africanos, apagados pela experiência colonial, A invenção das mulheres apresenta uma crítica da tradição ocidental que alterou o modo como os estudos de gênero se articulam, expandindo significativamente o seu campo de análise.

“Temos aqui uma obra fundamental para todos os interessados em filosofia, sociologia, história e debates sociais importantes no cenário contemporâneo a partir da percepção de uma pensadora nigeriana que desafia ideias universalizantes e convida a leitora e o leitor a pensar por categorias e conceitos iorubanos, que expandem o pensamento e a própria experiência social.”



Katiuscia Ribeiro e Raphael Arah

Tradução
Wanderson Flor do Nascimento

Posfácio
Claudia Miranda.

Sobre a autora

Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí (1957) é socióloga nigeriana de origem iorubá, e tem se dedicado com notável destaque a pesquisas interdisciplinares, associando estudos de gênero, sociologia do conhecimento e perspectivas africanas. Estudou nas universidades de Ibadan (Nigéria) e Berkeley (Califórnia, EUA). A invenção das mulheres é o primeiro livro que publicou, em 1997, nos Estados Unidos, resultado de sua tese de doutorado. A obra se tornou rapidamente uma referência e foi reconhecida por importantes prêmios, como o da Associação Americana de Sociologia. O mérito de suas pesquisas garantiu-lhe o financiamento de importantes agências como a Fundação Rockefeller, a Agência Presidencial Estadunidense e a Fundação Ford. Atualmente é professora da Stony Brook University (EUA).